Colaboração com a Associação Dobie Hope – Dobermanns em Risco

À Rede de Voluntários de Reiki em Animais, criada em Fevereiro de 2021, chegaram por diversas ocasiões, pedidos para ajudar animais resgatados pela Associação Dobie Hope – Dobermanns em Risco, que se dedica a auxiliar essencialmente cães de raça Dobermann, que se encontram negligenciados ou que a família demonstra algumas dificuldades em lidar com eles.

Harley

No final de Abril chegou um pedido à rede para dar Reiki a um Dobermann resgatado do Canil de Paços de Ferreira. Suspeitam que tenha sido cão usado e descartado por estar doente. O Harley tinha grandes dificuldades em andar, mas não tinha ainda um diagnóstico. Na impossibilidade se ser dado Reiki presencial, foi iniciado o envio à distância.

Cerca de um mês depois foram reunidas as condições para que pudesse receber Reiki presencialmente pelas mãos do voluntário da Rede, Miguel Oliveira. A sessão correu muito bem e o Harley dormiu uma boa parte do tempo e mesmo depois.

Na segunda sessão a tutora do Harley falou da satisfação de ver que já se notavam melhoras. Desta vez recebeu a 4 mãos, do Miguel e da esposa, Ana.

Entretanto o Harley recebeu o diagnóstico de Síndrome de Wobbler, mas ao fim da terceira sessão (feita mais uma vez a 4 mãos, Miguel Oliveira e Raquel Neto) , os tutores relataram melhoras significativas como espreguiçar-se, levantar a pata para fazer as suas necessidades e até já tinha tentado colocar as patas da frente no peito da tutora.

Cerca de 2 meses depois de ter chegado o pedido, Harley recebeu a sua quarta sessão de Reiki presencial (desta vez o Miguel Oliveira esteve acompanhado pela Nataly Luz) e continuava a receber Reiki à distância.

Esta foi também a última sessão presencial, tendo continuado a receber Reiki à distância.

Gift

No início de Maio chegou novo um pedido à Rede para dar Reiki a um Dobermann que foi resgatado no Magoito por ter sido abandonado. O Gift era um cão que, literalmente, não parava. Sempre a movimentar-se, de forma descoordenada não se sabia qual o problema que tinha.

A voluntária Rosa Clara deslocou-se até a FAT (Família de Acolhimento Temporário) que o acolheu e iniciou o envio a curta distância devido ao constante movimento. Ao fim de algum tempo o Gift deitou-se junto dela e recebeu Reiki durante uns minutos, com toque.

Entretanto, foi iniciado também o envio de Reiki à distância pelos membros da Rede.

Cerca de uma semana depois teve lugar outra sessão presencial e já se notavam diferenças. Mais uma vez após algum tempo o Gift deitou-se junto à voluntária Rosa para receber Reiki com toque. Poucos dias depois o Gift agarrou pela primeira vez um brinquedo pendurado e conseguiu brincar. Algo que a cuidadora confessou não esperar que pudesse acontecer.

A sessão presencial seguinte ocorreu cerca de 1 mês depois, já com a indicação que não tinha uma doença degenerativa, mas que possivelmente teria sofrido algum tipo de traumatismo. Dessa vez não se deitou por um período de tempo mais longo, mas parou por várias vezes, coisa que não tinha ocorrido nas duas visitas anteriores.

Por razões várias só foi possível o Gift voltar a receber Reiki presencial em Agosto.

A sua evolução foi extraordinária e a voluntária Fátima Cunha Velho encontrou um cão diferente. Muito entusiasmado quando a conheceu, mas que acabou por tranquilizar e receber o Reiki que mostrou ser muito do seu agrado.

Esta foi também a última sessão presencial, tendo continuado a receber Reiki à distância.

Zu

Em Julho a Rede foi contactada para ajudar a Zu, uma cadela Dobermann diagnosticada com Síndrome de Wobbler. Por não haver nenhum voluntário na área de residência a sua família deslocou-se 80 km (ida e volta) para que recebesse Reiki presencial. E valeu bem a pena, pois a Zu rendeu-se completamente ao momento e ficou muito tranquila.

Se quiserem saber mais sobre estes animais, podem visitar a página https://www.facebook.com/dobiehope/

Rosa Clara